Chegamos ao sétimo episódio da temporada, e mesmo sendo um episódio morno, sem grandes ações, foi um dos mais tensos.

Como dito no episódio anterior, estamos vendo os arcos dos personagens andando – menos Dorne. Por onde anda Dorne? Saudades Dorne! (#sqn) E alguns novos-velhos personagens voltando.

E começa assim, antes da abertura, com personagens nunca antes vistos numa comunidade hippie de Westeros. E mais uma vez, um suspense que leva vários capítulos nos livros é resolvido em uma cena. Temos o Cão de Caça de volta. Todo faceiro abanando o rabinho para o chefe dos hippies e cortando lenha como no one! Só para ter certeza, não é a Arya disfarçada.

O profeta arrependido, chefe da comunidade, faz o serviço para o espectador e conta como salvou Sandor Clegane da morte. Mas não acredita quando o Cão afirma que quase foi morto por uma mulher. Também vemos o Hippie Véi contando de seus pecados anteriores e arrependimentos. Até que se aproximam três cavaleiros maltrapilhos mandando um “coé preiboi! Que que vocês tem de valor aí?” O profeta diz que nada e convida os rapazes para a janta. Eles partem com uma ameaça velada e uma citação do Senhor da Luz.

No final do episódio, enquanto o Cão está no mato cortando uns troncos para gastar a frustração de não poder bater em ninguém, ele ouve alguns gritos. Sai correndo, mas chega tarde e encontra a comunidade morta e o Irmão Ray enforcado. Aí o Cão pega seu machado com sangue nos olhos e parte para sua guerra!

Esses acontecimentos me deixam com uma baita pulga atrás da orelha. Estaríamos vendo a Irmandade Sem Bandeiras? O homem enforcado seria prenuncio da Senhora Coração de Pedra? Estou ansiosa para uma ótima finalização dessa temporada!

Em Porto Real vemos a Rainha Linda e o Alto Papagaio batendo um papo “super contemporâneo” de como uma esposa deve se comportar para o seu marido – sem desejo, mas com paciência! E mesmo percebendo que a Margaery está completamente convertida, joga uma ameaça para vovó querida. Margaery vai depressa encontrar a Rainha dos Espinhos para passar a mensagem. Esta tenta convencer a neta a sair de Porto Real. Mas é a Rainha “Convertida”, acompanhada (leia-se vigiada) pela Septã Unela, que convence a avó a voltar para casa, passando na surdina um bilhetinho às suas mãos. Quando a senhora Olena se encontra sozinha, abre o bilhete e vê o símbolo de sua casa, uma rosa. O que eu já desconfiava, tive certeza nesse momento. A Margaery está tramando por trás do Pardal e o Reizinho (que ainda bem não pareceu nesse episódio). Ela está jogando e muito bem o jogo dos tronos.

As notícias correm rápido em Porto Real, e, assim que fica sabendo que a Vovó Tyrell resolveu voltar para Jardim de Cima, Cersei vai correndo “ter com ela”. A Rainha Sincera diz umas verdades bem ditas na cara da Rainha Estúpida. Que o fato dos netos terem sido presos e do Alto Papagaio ter alcançado o poder que alcançou é tudo culpa dela, que ela fez merdinha mesmo, que está perdida e sozinha. Aconselha Cersei a sair da cidade também. Cersei bate o pé, diz que não sai e engole em seco as verdades que Olena Tyrell lhe joga na cara: ela está sozinha, sua família a abandonou, o povo a despreza. Ela parece só poder contar agora com o Montanha, sempre ao seu lado.

No norte, Jon, Sansa e Davos estão recrutando homens para o seu exército. A primeira parada é com os selvagens. Eles alegam que não é a luta deles, que já são poucos e não vai sobrar mais nada. Tormund rebate com um discurso muito bem elaborado, pena que a Brienne não estava lá para ouvir. Jon finaliza com ótimas palavras e o fechamento vem do Gigante: SNOW. Com isso todos se juntam ao exército.

A segunda parada é na Ilha dos Ursos, onde conhecemos a Senhora Lyanna Mormont – melhor pessoa criança da série. Podemos ver também o jogral entre Sansa e Jon, que não convence a menina. Até que Davos manda a real, fala que tem zumbi e Rei da Noite vindo aí, e que não vai sobrar no one (não é a Arya aqui também)! A garota se convence e concede os 62 mais ferozes homens.

A parada seguinte é na casa Glover. Aí, eles não são tão bem sucedidos como nas paradas anteriores e recebem um estrondoso NÃO! Lorde Glover diz que seguiu os Stark e perdeu quase tudo por causa da imprudência de Robb. Só mantiveram o castelo por causa dos Bolton. Não vai ajudar! O Norte se lembra até demais…

De volta ao acampamento, percebem que o exército é menor do que esperavam. E ainda por cima, os homens estão arrumando confusão uns com os outros. Mas terão que lutar com esse mesmo para não correr o risco de serem pegos pela neve, como Stannis. Sansa não concorda e manda um corvo secreto. Eu imagino, já que ela mandou a Brienne para Correrrio, que o corvo vá para o Mindinho. Ou seja, vem merdinha aí gente!

Lá em Correrrio, Jaime e Bronn chegam ao cerco mais mal armado dos sete reinos e das cidades livres! Eles veem dois Frey ameaçando que se o Peixe Negro não ceder irão matar seu sobrinho. Brynden Tully caga solenemente para o fato. Os Frey não tem coragem de executar Edmure. Jaime não dá conta da falta de prática dos Frey, e chega colocando o pau na mesa: fala que agora quem está comandando o cerco é ele, e ainda dá um bitch slap no Frey falador. Detalhe para a bela armadura de Jaime, cheia de detalhes com o símbolo da casa Lannister. Ele pode não lutar mais nada, mas ainda impressiona pelo visual.

Chama o Peixe Negro para conversar e diz que a guerra já acabou: “vamos deixar disso”. Peixe Negro responde: “enquanto eu estiver vivo haverá guerra”. “Então para que veio aqui me ver”, retruca Jaime. “Estava com tédio do cerco e queria conhecer de perto o Regicida… e que decepção!” fecha com chave de ouro, o Peixe Negro. Bom… pelo menos, Brynden Tully, que também tem uma armadura que remete ao símbolo da sua casa, com escamas de peixe, não se impressiona com Jaime. Nos livros, essa parte do cerco já aconteceu faz tempo! E se tudo correr como imagino, teremos um confronto entre Jaime e Brienne ainda nessa temporada e quem sabe, talvez, a chegada de um coração de pedra…

Do outro lado do mar de peitinhos, ou melhor, do Mar Estreito, vemos a frota da Yara se divertindo loucamente em um bordel, enquanto Theon está apavorado com tantas mulheres nuas. Sua Irmã, bem acompanhada, dá uma debochada dele, mas fica com pena depois. Joga a real para ele, manda ele beber e voltar a ser o Theon que ela precisa. E revela o seu plano: fala que vão partir para Meereen para convencer a Senhora dos Dragões a se juntar a eles. Ou seja, aqui na série eles estão tomando o papel desempenhado pelo seu tio Victarion Greyjoy nos livros.

Em Bravos, Arya consegue contratar um navio para fugir para Westeros. Fica de boas numa ponte observando a paisagem, quando é abordada por uma senhora que na verdade é a menina abandonada. A menina puxa a adaga e…

NÃO!!!!! Não, não, não, não me tirem a Arya!! Não antes dela reencontrar a Nymeria!!

Arya sai sangrando pelas ruas e não é ajudada por no one… [ok, parei]. Duas coisas podem acontecer, a primeira, ela ser ajudada pela Lady Crane e fugir com os pantomimeiros. Ou não ser a Arya! Afinal de contas, alguém que tem pressa em fugir e se esconder não fica dando mole em cima de uma ponte. Para saber mais sobre essa teoria, clique aqui.

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário