Nós ouvimos contos do Rei Louco desde a primeira temporada de Game of Thrones, mas algo me diz que em 100 anos os habitantes de Westeros também falarão da Rainha Louca. 

No episódio Blood of my Blood temos ela, a mulher de muitos nomes, montada em Drogon e fazendo um discurso que pode ser resumido em “Khals se contentam com pouco, mas eu não sou Khal algum. Andem todos comigo e vamos tocar o terror em Westeros”.

Dany quer chegar em Westeros, chamar o lugar de seu e tomar a força se necessário – e, embora saibamos disso há tempos, as coisas estão mudando. Dany até então apesar de estar em busca de poder, era altruísta. Esta foi a primeira vez que vemos a ambição fulminante de tomar os Sete Reinos em seus olhos. Seria esse o começo da loucura da Mãe dos Dragões? Daenerys talvez esteja caminhando para o mesmo destino de seu pai e assim adicionar a alcunha de “a Rainha Louca” na sua lista infinita de nomes.

Vamos articular isso um pouco melhor com base num ótimo texto da Vanity Fair.  Dany sempre deixou claro que seu desejo era governar em prol do bem e da liberdade, e não em prol do “vamos matar quem aparecer pela frente”. O discurso dela na verdade lembrou um bocado o do Khal Drogo na primeira temporada onde ele disse que seu Khalasar iria violentar, pilhar e dizimar qualquer Westerosi que encontrasse em sua jornada. O objetivo era controlar e mandar, não libertar.

Não esqueçamos também que neste mesmo episódio tivemos Bran tendo a visão do Rei Louco gritando “Queimem todos”. E nós sabemos que a HBO não dá ponto sem nó. Lembremos também que Aerys II Targaryen não é o único biruta da família. Targaryens são conhecidos por manter relações consanguíneas para manterem sua linhagem “pura”. Isso naturalmente diminui a variabilidade genética, que quanto menor for, maiores são os riscos de desenvolvimento de doenças recessivas – e não é à toa que já foi dito que “toda vez que nasce um Targaryen, os deuses jogam uma moeda para o alto”.*

Agora que instituímos que a Daenerys pode ficar doida de pedra, vamos divagar. A Nascida da Tormenta viaja pelo mar com seu Khalasar, que obviamente não está acostumado com esse tipo de viagem. Alguns morrem, outros passam mal, e poucos chegam sadios e prontos para o combate. Rola uma treta, Dany fica em desvantagem. Toda a vida dela foi regida em prol daquele momento. Está tudo dando errado. Danny louca e desesperada sobe no dragão e diz sua própria e famosa versão do “queimem todos”: DRACARYS!

Se isso não é o suficiente para a tacharmos de vilã, vamos analisar tudo do ponto de vista de um Westerosi. Você está vivendo sua vida de camponês tranquilamente, quando uma “forasteira” montada em dragões chega dizendo que vai tomar tudo, queimar tudo e matar quem for necessário. Ela está louca, então é isso que ela faz. Inocentes morrem, mais crianças são queimadas e Daenerys é vista por todos como vilã.

Naturalmente, “vilão” e “benfeitor” são questões de ponto de vista, já que a própria rainha acha que Robert Baratheon e Ned Stark eram grandes usurpadores, mas se somarmos a quase inevitável loucura com sua ambição, talvez Dany se torne vilã aos nossos olhos e não sei se saberemos lidar com isso. Haja coração.

*Tormenta de Espadas, Capítulo 71.

Agradecimentos ao Erik do PontoJão e BereChiavegatto pela ajuda com o texto.

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário