Estamos chegando na metade da temporada, e diferentemente do que aconteceu na anterior e do que eu previa, a série só cresce, exponencialmente! Nada de barriga.Mais um episódio recheado de diálogos que trazem boas perspectivas do que teremos pela frente. Volta, Hype!

E novamente mais um episódio começando na Patrulha. Vocês pediram Jon Snow, então toma Jon Snow. Pode mandar mesmo, tá pouco ainda. Por mim, os 10 episódios começariam e terminariam na Muralha.

Mais uma vez a série me surpreendeu e promoveu mais rápido do que imaginava o encontro da Sansa com o Jon. Foi lindo, os dois abraçados na neve, o Pod, a Brienne, Tormund… hum… Brienne + Tormund… já já penso nisso. Achei esse encontro bem emocionante e significativo. Adorei a Sansa se afirmando chatona (quem nunca falou isso que atire a primeira pedra) e o Jon tentando apaziguar. Ela acha que precisam voltar e reconquistar a casa, mas ele tá cansadinho, já brigou muito para duas vidas.

Outro ponto importante foi o confronto do Davos com a Melisandre sobre o destino do Stannis e a descoberta de que a feiticeira agora serve ao Jon – O Príncipe Prometido. E também, o confronto da Brienne com os dois, ela não esqueceu nem perdoou a morte do Renly, nem do bebê mostro das sombras. Será que teremos um confronto Brienne e Melisandre? Vai ser difícil achar um lado para torcer.

Ainda sobre a Brienne, que climão que rolou entre ela e o Tormund, hein?  Assim que vi as cenas não gostei muito, já tinha criado o imaginário dela com o Jaime por sugestão dos livros. Depois fiquei pensando, há, o Jaime é muito lordzinho para ela, ia ficar de mimimi: “põe um vestido, sua espada é maior que a minha”… Acho que ela vai ser mais feliz com um selvagem. Shipei Briemund!!

No segundo momento da Muralha, Jon recebe uma carta do Ramsay chamando para xinxa e contando que está com Rickon. A Sansa manda aquele olhar, “te avisei”, e eles decidem chamar os selvagens e as casas de confiança do norte para tentar retomar Winterfell.

Ainda sobre o “Cachorro Louco”, o novo Lorde Bolton chama a Ocha, agora limpinha, para bater um papo. Ela bem tenta mandar uma lorota para o lado dele, mas acaba com uma faca na garganta. Momento frio na espinha. Eu ainda espero que tudo isso seja um plano dos Umber, não estou preparada para perder mais um Stark, por favor!! Rickon, se cuide meu filho!

Pela primeira vez voltamos a ver o Mindinho e o Robin Arryn, mais uma criança crescida em Westeros (o que esses meninos comem?). Nessa cena podemos ver o Lord do Vale treinando sua belíssima pontaria com o paciente Lord Royce e eis que chega o Mindinho, danadinho. Ele joga uma lábia, ainda maior que a do Varys, e consegue agrupar o exercito do Vale para ajudar a Sansa contra os Bolton. Vale lembrar que esse é o exército em melhores condições de Westeros, eles não participaram da guerra dos cinco reis, estão fresquinhos! Poderão fazer grande diferença ao lado do Jon, que nem espera por essa ajuda.

Uma coisa que queria muito entender. Como é que o Mindinho consegue essas informações tão rápido? Tem telegrama por lá? Sedex 10?

Já em Meereen, Tyrion, que já não é mais o mesmo, negocia com os senhores de escravos e propõe que eles se ajustem à nova situação, num prazo de sete anos, prometendo recompensas por suas perdas. Os libertos da cidade não gostam nada disso e vão tirar satisfação com Tyrion, que conta com a inesperada ajuda de Verme Cinzento e Missandei para apaziguar os ânimos. No entanto, os dois avisam ao Meio Homem que não confie nos senhores de escravos.

Esse embate nos livros leva a um cerco em Meereen, que gostaria muito que acontecesse na série para ver como o Tyrion se sairia, e até mesmo, se ele usaria os dragões, agora seus amigos.

No lado oeste do Mar Estreito, voltamos a Porto Real, o núcleo mais arrastado do episódio, muito por culpa do Alto Pardal, que fala muito… Parece até mais um Alto Papagaio, de tanto que fala. Dessa vez pegou a Margaery para ouvir a ladainha. Contou a história de sua vida, que coincidentemente era igual a história do Livro do Estranho, verso 25, que é o nome do episódio! Mas acaba deixando que a rainha linda (que continua com biquinho) veja seu irmão. Loras está mais esfarrapado do que ela e já não aguenta mais o cativeiro. Dá para perceber que ela está tramando algo para o Pardal (tomara!).

Na Fortaleza Vermelha, a Rainha Mamãe descobre que o Pardal-Papagaio andou falando muito com o Reizinho e resolve juntar forças com a Rainha dos Espinhos e seu tio Kevan para derrubá-lo. Cersei põe de lado a antipatia por Margaery e propõe que impeçam sua Caminhada de Penitência. “O inimigo do meu inimigo pode ser meu amigo”. Isso não está me cheirando muito bem e prevejo uma guerra civil em Porto Real. O que seria um bom desfecho para essa ladainha que se arrasta desde a temporada passada.

Partindo para o Mar Dothraki, Daario e Jorah seguem em sua busca por Daenerys. O Ândalo demonstra sinais de cansaço e é obrigado a ouvir piadinha do Daario de que não daria conta da Mãe dos Dragões. E realmente, em vários momentos, percebemos que o Mormont já não é mais o mesmo guerreiro. Será que o escamagris já está afetando a performance do urso?

A dupla chega em Vaes Dothraki achando que vão enganar alguém com papinho de comerciante, mas são desmascarados pelos dois primeiros dothraki que encontram. Enquanto Daario se livra rapidamente do seu oponente, Jorah apanha mais que cachorro bêbado e é salvo pela faca de estimação do mercenário tyroshi. Mas, como não pode derramar sangue na cidade sagrada, se veem obrigados a quebrar, a pedradas, a cabeça do dothraki, para não chamar atenção para morte. OK!

E não é que encontram a Não Queimada! Ela estava buscando água com sua mais nova melhor amiga, uma das Dosh Khaleen mais novinhas. Ela, em todo seu poder, fala logo com os dois: “Me salvar, nem precisa amores, estou com tudo planejado, mas se quiserem ajudar, ok!”

E eis que temos um final de episódio comparável com a volta do Jon Snow. Com os khals reunidos querendo traçar o destino da Mãe dos Dragões, ela manda um, “me poupem! Quem decide meu destino sou eu!” E TACA FOGO EM TODO MUNDO! Ela põe fogo na parada toda!! Não sobra nem cinza desse bando de khal misógino.

E ela? Ela sai linda, nua e loira das chamas e ainda ganha mais dois sobrenomes: Diva e Lacradora! Agora, além dos Imaculados e dos dragões, ela tem todos os khalasares à sua disposição, quero ver os mestres da baía dos escravos tentarem cercar Meereen.

Que venha o quinto episódio, e que traga a Arya e o Bran, que fizeram falta. Dorne nem precisa…

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário