Mais um episódio de Game of Thrones, e como era de se esperar, com um baita pé no freio. Segura esse hype aí galera! Diz a HBO.

            O episódio foi bom, eles sabem escrever diálogos, mas diferente dos dois primeiros, faltou àquela cena bombástica de te fazer levantar da cadeira.

            E pela terceira vez o episódio começa e termina na Patrulha. Se eu estou gostando? Ah, estou sim!!  Se é para escolher um protagonista, que seja o Jon! E ele realmente acordou, de olhos castanhos, e por enquanto, sem nenhuma modificação de caráter – isso eu não gostei. Além de não saber de nada, Jon Snow também não viu nada! Sor Davos continua com seu programa de autoajuda e Melisandre acha que, agora sim, encontrou o Azor Ahai.

             Pela primeira vez nessa temporada aparece o Sam. Assim como nos livros, ele está indo para Cidadela, em Vilavelha, com a Gilly e o bebê Sam. E é só isso aí mesmo…

            Finalmente o momento mais aguardado da série, desde o lançamento dos trailers, acontece. A famigerada Torre da Alegria!! Lar das mais famosas teorias desse universo. Como imaginado, ela aparece como uma visão verde do Bran. Lá podemos ver o jovem Ned, Howland Reed e Sor Arthur Dayne, o Espada(s) da Manhã num embate para reencontrar a Lyanna. Foi uma bela cena de luta, uma das poucas bem coreografadas nessas seis temporadas. Descobrimos também que o Ned não é tão honesto assim e que quem matou Sor Dane foi o Reed com uma facada nas costas.

            Mas agora o que interessa mesmo, subir a torre e por à prova todas as teorias, conhecer (ou não) a mãe do Jon… NÃO, não vai não. Fica aí quietinho que vamos segurar mais tempo essa história.

            Ainda sobre o Bran vale destacar o que foi dito pelo Corvo, que o Bran não irá ficar na caverna para sempre, que terá outro papel nessa história. Será que ele participará da grande guerra presencialmente? Em lobos? Dragões? No Hodor?

            Partindo para Essos, Daenerys continua sendo rainha de nada e que se dê por satisfeita se as viúvas e os Khals deixarem que ela fique em Vaes Dothrak. Cadê Drogon para resolver essa questão?

            Varys mostra a que veio e usa sua lábia para descobrir quem está financiando os Filhos da Harpia. Como esperado, e para casar com o plot dos livros, são as outras três cidades escravagistas. Acho que veremos nessa temporada o cerco em Mereen e a cidade sendo comandada por Tyrion e os dragões. Aliás, o Tyrion não leva jeito mesmo para conversar com os locais, não é?

            A garota sem nome, antes conhecida como Arya Stark, finaliza seu treinamento, fica boa na luta com bastão e volta a enxergar. Chato é que uma das partes mais legais do livro, que é a Arya vendo as ruas pelos olhos de uma gata, não vai ter… Nessa parte me deu uma sensação de que o tempo está correndo diferente para cada núcleo. Só espero que até o final da temporada todos se encontrem. Outra coisa interessante foi faltar um nome na lista dela. Será seu primeiro trabalho como ninguém? Quem será entregue ao Deus de Muitas Faces?

            Em Porto Real os passarinhos de Varys arrumam um novo poleiro no sótão do Qyburn. Cersei aprovou! E por falar em Cersei, a rainha Má está com sangue nos olhos e já propõe que seu julgamento seja por combate, seu campeão já está pronto, O Montanha. Aliás, virou festa, né? Todo mundo já sabe que é ele. Mas nem com esse guarda costas a Cersei consegue ter de volta seu poder, o Pequeno Conselho demonstra que não tem medo de cara feia e deixa a rainha falando sozinha, menos o Pycelle, que se apavora com o Clagane.

            No Septo o Rei “Ovomaltino” continua caindo na conserva de qualquer um. Agora foi do Alto Pardal.

       No Norte, Ramsay Bolton ganha um presentaço do Lord “dou soco na mesa” Umber. Ele chega em Winterfell com ninguém menos que Rickon Stark, que está galalau também, e a cabeça do Cão Felpudo.

Gente, para! Para que ficar matando lobo? Está cheio de gente nesse mundo aí, não mata os bichinhos não!

            Estou bem em dúvida do que pode vir disso. Obviamente, a presença do Rickon será um bom motivo para desencadear a Guerra dos Bastardos. Mas eu não comprei muito essa traição dos Umber, estou bem desconfiada que isso seja uma armação para derrotar o Bolton. Nos livros existe um indício disso e quem planeja essa tramoia é o Sor Davos.

            De volta à Muralha, Jon cumpre seu último papel como Lorde Comandante, enforca os traidores e entrega o manto. “Minha vigília está terminada”.

            E novamente um final que gera muitas dúvidas, o que é bom. Para onde Jon vai agora? Com quem ele vai? Melisandre? Sor Davos? Vai encontrar a Sansa? Com o Bran? Vai salvar Rickon? Vai virar Jon Stark?  Vamos é torcer para que o ritmo não continue caindo e que o próximo episódio seja bombástico.

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário