Baseado num livro de 2009 do mesmo nome de Casey Sherman e Michael J. Tougias, Horas Decisivas ganha sua adaptação para aos cinemas com um filme mostrando mais uma vez como a natureza é algo assustador e como o ser humano unido se torna milhões de vezes mais forte.

O filme conta a história verídica de uma tentativa de resgate em 1952, quando uma grande nevasca leva uma plataforma de petróleo a se rachar ao meio, lançando 84 tripulantes ao mar. Enquanto a tempestade dificulta a sobrevivência do grupo, uma equipe de quatro guardas costeiros tenta resgatar as vítimas com um barco com espaço para 12 pessoas.

O protagonista Bernie Webber vivido por Chris Pine é um homem traumatizado pelo passado, por um evento que é apenas mencionado pelos personagens onde alguns pescadores morreram por um erro de Bernie que acaba se tornando muito inseguro em várias situações. Por isso, a jornada do personagem acaba sendo uma espécie de provação para ele mesmo, tanto na missão de resgate em si quanto para a sua vida pessoal e a decisão de se casar com Miriam (Holly Grainger)

Já no navio SS Pendleton partido temos Ray Sybert, interpretado por Casey Affleck, um assistente de engenharia que tenta manter a metade da embarcação em funcionamento enquanto a tripulação entra em desespero. Esse é o núcleo mais interessante do longa, com personagens carismáticos e fazendo de tudo para sobreviver e enviar um sinal de resgate. Eu veria um filme só com essa turma, é realmente interessante a forma como as cenas em alto mar são feitas e o embate entre os homens que estão a beira da morte.

Dos três núcleos, o mais desinteressante acaba sendo o da terra firme. Enquanto você está preso na ação do resgate o filme corta para explanar mais o romance de Miriam e Bernie, enquanto ela tenta fazer o subtenente Daniel Cluff (Eric Bana) trazer seu amado de volta da tempestade. Apesar do romance do primeiro ato ser um pouco sonolento, ele é de muita importância para prender o publico àqueles personagens.

Esse é um daqueles filmes para se ver no cinema. A edição de som deixa a experiencia de assistir o filme na sala de cinema muito mais interessante, com uma imersão gigantesca, ainda mais nas cenas em que o mar preenche a tela. É quase inacreditável falar que uma história dessa realmente aconteceu e a forma como transmitiram para o formato de longa-metragem é simples e eficaz na hora de narrar os acontecimentos, vale muito a pena ser conferida e ficar até o final dos créditos para ver as fotos dos personagens da vida real.

Menção honrosa ao ator escocês Graham McTavish, interprete do anão Dwalin na trilogia do Hobbit, que aparece em Horas Decisivas fazendo um marinheiro super badass e à fotografia que deu a ambientação ideal para esse filme de época.

Horas Decisivas estréia dia 18 de Fevereiro aqui no Brasil e agradecemos o convite da Disney Brasil pela oportunidade dada ao CinescópioTV de conferir o filme na cabine de imprensa.

Anote em sua agenda: Os 13 filmes da Disney em 2016
Deixe seu comentário:

Deixe um comentário