Opinando: Doctor Who (S08E01 – Deep Breath)

E é nesse dia tão especial (25/08), que começo a escrever para o CinescópioTV. Acontece que eu fiquei com a deliciosa tarefa de dar a minha opinião sobre a oitava temporada de Doctor Who, então comecemos logo e deixemos de lado as formalidades.

Shush! Shush? Quer dizer que eu esperei quase um ano inteiro pra ouvir o Capaldi falando Shush? E o que aconteceu com as cores do seu rim, Doutor? E aqueles olhos fumegantes do The Day of The Doctor? Tudo bem, vamos relevar e tentar dar uma chance, afinal, ele acabou de ser vomitado por um dinossauro enorme em plena Londres vitoriana.

Que sempre rola um estranhamento com o Doutor a assumir o barco, isso é óbvio, mas não sei se fui só eu, não consegui me acostumar com o Capaldão nesse episódio. Essa estranheza é pensada e colocada ali propositalmente justamente para atingir o telespectador, mas será que não existe um vão muito grande entre o novo Doctor e o Matt Smith?

O Matt era como um amigo sempre pronto pra te ajudar em qualquer indício do perigo. Ele estava lá, como seu confidente, amante e amigo. O novo protagonista me assustou demais. Creio que eu não estava muito bem preparado para receber esse magricela narigudo dando uma de arrogante, altruísta e “Eu sou o Doutor”!

(Beijos lésbico! Demorou, mas finalmente aconteceu!)

Voltando ao episódio, o que foi aquilo? Um estupro mental? Parece que forçaram um zilhão de informação na minha mente até a metade do episódio. É como se o Moffat estivesse reutilizando a fórmula do The Night of The Doctor, colocando uma paulada de informação até o desfecho do episódio.

E que desfecho, hein? Depois de robôs tentando virar humanos, haja fôlego pra cartada final do nosso querido Moffat. Ele joga nada mais, nada menos (área de spoilers) o 11º Doutor para encher os olhos de lágrimas de todos que estavam acompanhando o episódio.

“I… I don’t think that I’m a hugging person now” (“Eu… Eu acho que não sou mais o tipo de pessoa que abraça”)

Depois de frases tocantes do Capaldi, como quase um grito desesperado de “por favor moço, me dê uma chance”, a mensagem final fica no ar.

Esse é o Doutor, aceite isso, queira você ou não. Ele mudou, mas continua o mesmo aventureiro, capaz de te fazer rir e chorar (muito). O Doutor tirou o seu véu. Ele confiou em nós. Confiemos também nesse novo rosto.

E eu vou ficando por aqui. Até mais pessoal!

Deixe seu comentário:

1 COMENTÁRIO

  1. Tubarões Voadores <3
    Eu até consegui me acostumar com o Capaldi, acho que ele vai ser um Doctor bom, pelo menos ele deu essa impressão, mas como foi o primeiro episódio ainda não mostrou muita coisa, vamos ver em breve

Deixe um comentário