Opinando: Game of Thrones (4×09 – The Watchers on the Wall)

Após oito episódios de caminhada, os Selvagens finalmente chegam na Muralha em The Watchers on the Wall. Um episódio totalmente dedicado aos Patrulheiros da Noite e sua batalha contra Thenns, Selvagens e Gigantes!

Num episódio que não há muito para ser dito, já que 80% são lutas, são poucos os pontos que podemos destacar ou criticar. Felizmente, as coreografias das lutas melhoraram muito desde a última aparição dos Patrulheiros em ação. Digo isso para as “lutas principais”. Os embates dos coadjuvantes de pano de fundo estão tão críveis quanto sempre, bem pouco.

Como em toda luta, se não há vantagem numérica tem que haver estratégia. E nesse caso, números não são a única preocupação, já que há Gigantes montados em mamutes. A série aqui adaptou com primor, mais uma vez, os feitos descritos por George Martin nos livros, como os barris de óleo e a imponência dos Gigantes.

Enquanto Goiva e Sam formam agora oficialmente o casal mais bonitinho da série, quiça da televisão atual, Jon se depara com Ygritte em meio a batalha e a história de amor dos dois termina. Ygritte morre, mas não houve impacto, ao menos para mim. Depois de tantos episódios no escanteio total, não havia mais uma ligação entre Ygritte e o telespectador como havia ao final da terceira temporada. Junte isso com a anestesiada dada pelas inúmeras mortes anteriores, inclusive de personagens com mais destaque, e pronto. A morte da guria não me marcou. Só mais uma casualidade.

Em meio a tudo isso, a Patrulha da Noite captura Thormund e sobrevive, por ora. Tendo assim um dia para se preparar para um confronto muito maior e épico. Que o Season Finale encerre esta guerra com primazia e que pelos Deuses Novos e Velhos, pelos Sete Deuses e pelo Deus Afogado, mostre o destino de Tyrion e Arya.

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário