Opinando: Game of Thrones (4×08 – The Mountain and the Viper)

O episódio mais esperado da temporada chegou com The Mountain and the Viper (A Montanha e a Víbora) e supriu majestosamente todas as nossas expectativas. Não só pelo belo final, mas por estar repleto de acontecimentos marcantes e importantes do começo ao fim.

Em Essos, Verme Cinzento é mais uma vez “desmaculado” ao desejar o corpo nu de Missandei. Esta é uma decisão totalmente da série visto que a moça no livro tem apenas 11 anos. Não sei o porquê de humanizar o personagem, talvez tenham planos futuros, mas como ele é o único Imaculado de destaque, a sensação que estou tendo é que a imagem de “guerreiro sem sentimento inabalável” está se esvaindo. Enquanto isso Danny descobre que o Mr. Friendzone, Sor Jorah Mormont, a espionava para o Rei Robert e manda ele embora para sempre. Veremos bem pouco do personagem daqui pra frente. Eu tenho dó dele.

Já em Westeros, na Muralha, alguns Corvos são atacados em Vila Toupeira. Os selvagens estão se aproximando (ainda) para culminar no último episódio da temporada com o provável maior embate da série até agora. Mais abaixo no mapa, Fedor faz de conta que é quem ele realmente é (lolwut) e ajuda Ramsay a capturar Fosso Cailin e ser reconhecido pelo seu pai, Roose Bolton. Mais uma vez provando a inteligência, devoção e insanidade do não mais bastardo. Ponto positivo para a série e para o ator pela ótima retratação.

No Ninho da Águia, lembramos que Sansa não é tão Sonsa como nos acostumamos a achar. A garota sabe muito bem jogar o jogo dos tronos para manter sua cabeça colada ao corpo. Ela testemunha sobre a morte da tia, contando a verdade sobre quem é, mas mentindo sobre ter sido um suicídio. Nada como uma verdade para mascarar uma mentira. A Stark assume oficialmente o papel de sobrinha de Petyr tingindo seu cabelo. O Ninho pode ser dela. Quase que simultaneamente, Arya e Cão de Caça chegam ao Ninho e descobrem que não terão resgate algum, pois Lysa está morta. Na posição deles, só rindo para não chorar, como Arya fez.

E enfim o episódio culmina em Porto Real com o julgamento por combate entre a Montanha e a Víbora. Todas as prévias reclamações que tive quanto a coreografia das lutas desta temporada vão para o limbo com o espetacular manejo da lança de Oberyn Martell. Sua agilidade e habilidade colocam literalmente Clegane de joelhos, mas sua fúria e prepotência custam a luta e sua vida, morrendo assim numa cena fantástica onde seu crânio é esmagado. Elaria entra em prantos, Tyrion só falta chorar e Cersei dá o maior sorriso de sua vida. A fidelidade com o livro deste combate foi incrível, inclusive as frases repetidas incansavelmente: “Você a estuprou. Você a matou. Você matou seus filhos”. A dica para deixar todos com a pulga atrás da orelha é: ele morreu, mas ainda vai causar estrago.

Tudo que foi levado devagar durante a temporada culminou neste episódio, deixando como de praxe os três último episódios da temporada sendo os mais emocionantes, por isso eu entendo as cenas que encheram linguiça nos episódios anteriores. O único problema agora é saber que daqui duas semanas, começará mais um ano de espera.

Se quiser saber o destino de Tyrion, se vive ou morre, acesse nossa matéria Game of Spoilers.

Agradecimentos ao Marcelo Gabriel Brito pela ajuda com o texto.

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário