Opinando: Game of Thrones (4×05)

No episódio desta semana de Game of Thrones, quase nada acontece. E do que acontece, muito pouco terá impacto no futuro da série.

Começando por Essos que é um dos dois locais onde realmente acontece algo importante, Daenerys está com seu conselho e descobre que as cidades de Astapor e Yukai que ela libertou estão na loucura da escravidão novamente.  Crente que uma rainha não deve abandonar seu povo e que traí-lo a tornaria numa regente sem futuro, a Khaleesi decide não ir mais para Westeros, pelo menos por enquanto. Ou seja, nada de dragões mudando o rumo da Guerra dos Cinco reis por enquanto.

Já no Ninho da Águia, Petyr Baelish chega com Sansa e a apresenta como sua sobrinha Alayne para mantê-la segura. No livro Sansa é apresentada como sua bastarda, mas isso é indiferente. Mindinho então casa com Lysa e se torna o Senhor do Ninho. E não só isso, Lysa revela que foi plano de Petyr matar Jon Arryn e mentir para Catelyn Tully sobre acreditar que os Lannister haviam matado seu marido. Qual a conclusão tirada de tudo isso? Mindinho contribuiu diretamente para o início da guerra.

Com exceção destas cenas, só temos um bando de sequências fracas que talvez ajudem um pouco na construção de alguns personagens. Cersei reafirma que odeia Tyrion, Arya mostra mais uma vez que odeia Clegane, o Cão prova novamente que é mau e Briene começa a aceitar Podric como seu escudeiro.  A sensação foi de tapa buraco, já que não há mais muitos acontecimentos grandiosos envolvendo a maioria desses personagens esperando para serem adaptados na segunda metade do terceiro livro. Ao menos, o Banco de Bravos foi devidamente apresentado.

E para fechar com chave de ouro a encheção de linguiça temos a Fortaleza de Craster. Eu já disse anteriormente que o sequestro do Bran e a incursão de Jon não fazem parte dos livros e que a série poderia desde já estar tomando rumo próprio. Eu errei. Os dois acontecimentos não mudaram nem acrescentaram nada na história. Morreram apenas personagens introduzidos neste “arco”, os irmãos não se encontram ou qualquer informação importante é revelada. Sem contar as terríveis coreografias das lutas. Resumindo, se estas cenas não existissem nada teria mudado na série além do Fantasma estar de volta.

Com um episódio com cara de filler, a quarta temporada chegou na sua metade. Tyrion está “prestes” a ser julgado e os  Selvagens claramente se perderam a caminho da Muralha. Meu temor nesta brincadeira é perderem tempo agora e condensar muitos acontecimentos de uma vez no final.

Agradecimentos ao Marcelo Gabriel Brito pela força com o texto

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário